Melhores áreas para se especializar

Uma das dúvidas mais comuns entre os programadores iniciantes é sobre a área de especialização a ser escolhida. Entre as tantas linguagens de programação presentes no mercado, qual delas é a melhor opção? A resposta, no entanto, depende de uma série de outros fatores como as aptidões e desejos pessoais, por exemplo. Se o interesse é maior por ferramentas e aplicações web, a resposta pode ser Java ou PHP, por exemplo. Já para os que preferem grandes programas, com funções complexas, as linguagens de alto nível como C e Python, ou de baixo nível como Assembly, podem ser melhores alternativas.

Independentemente da área de especialização, algumas preocupações costumam ser comuns, entre elas a remuneração e o espaço no mercado de trabalho.

Linguagem de programação: entenda suas características e saiba quais as melhores áreas para se especializar

Java

Java é uma linguagem de programação orientada a objetos altamente utilizada no mercado e é relativamente nova, desenvolvida na década de 1990. Desde então, tem sido uma das linguagens de programação mais requisitadas pelo mercado de trabalho, liderando os principais rankings das listas de programação. Segundo o Site Nacional de Empregos (Sine) a faixa salarial de um desenvolvedor Java pode variar de R$ 1.900,00 a R$ 6.500,00, dependendo do tamanho da empresa e da classificação do cargo.

Por ser uma das linguagens mais utilizadas em web, o programador Java costuma ter senso analítico apurado tanto com relação às funcionalidades do programa quanto à aparência estética dele.

PHP

O PHP (Hypertext Preprocessor ou Personal Home Page) é uma linguagem muito utilizada para desenvolvimento web. A plataforma WordPress, por exemplo, utiliza PHP.

Utiliza linguagem de script open source de uso geral e é especialmente adequada para o desenvolvimento web, já que pode trabalhar em conjunto com o HTML. Essa é uma linguagem simples e, por isso, costuma ser bastante utilizada por programadores iniciantes. Segundo o Sine, a faixa salarial de um programador PHP pode variar de R$ 1.700,00 a R$ 5.700,00, dependendo do tamanho da empresa e da classificação do cargo.

Da mesma maneira que o Java, por ser uma linguagem utilizada em web, o programador PHP também costuma ser mais atento não só às funcionalidades do programa mas à sua aparência estética.

C

A linguagem de programação C foi criada por Dennis Ritchie para desenvolver o sistema operacional Unix, em 1972. É padronizada pela ISO e também bastante utilizada até hoje. Faixa salarial média no Brasil é de R$ 2.395,49 segundo a empresa Catho.

Por ser uma linguagem mais focada nas regras de negócio e processamento e menos em aspectos gráficos, como telas, o programador dessa linguagem não costuma se preocupar com a parte gráfica do programa e sim com suas funcionalidades. Deve possuir grande senso analítico e cuidado minucioso com os detalhes que a linguagem exige.

Assembly

Linguagem de programação de baixo nível, utilizada especialmente por empresas desenvolvedoras de hardware e software. Embora ainda seja bastante utilizada, tornou-se raro encontrar profissionais especializados e justamente por essa escassez sua faixa salarial costuma ser bastante alta. Um ponto fraco desta linguagem é que possui curva de aprendizado alto, com sintaxe e estrutura de programação pouco legível se comparada a outras linguagens.

Mais próximas das características da linguagem C, o programador Assembly deve possuir grande senso analítico e cuidado minucioso com os detalhes que a linguagem exige, além de conhecimento aprofundado em hardware.

Confira o ranking das principais linguagens de programação segundo o Index Tiobe.

Outras especializações

Vale lembrar que um programador não precisa se ater exclusivamente à programação. Especializações em áreas relacionadas à análise e ao armazenamento de dados também possuem um grande destaque no mercado, com salários que podem ultrapassar R$ 6.000,00 mensais. Incluindo a área de Marketing, que têm buscado profissionais com formação na área técnica e conhecimentos de programação para atuar em áreas de BI (Business Intelligence ou Inteligência de Negócios), através da coleta e análise de informações.