5 habilidades programador Java

Imagine um mundo sem os tradicionais aplicativos móveis que encontramos em nossos Smartphones, ainda com uma Web com pouca interatividade, onde o conteúdo produzido era pouco atrativo e interativo. Agora acrescente a isso, o limitado acesso da população a computadores e a Web. Difícil imaginar este cenário nos dias de hoje, onde estamos praticamente 24 horas conectados, seja através de nossos Smartphones, SmartTvs, ou computadores pessoais. Recebemos conteúdos a todo momento, e dos mais diversos tipos, podendo ainda interagir com os mesmos tornando tudo mais atrativo e natural.

Agora, volte àquele mundo que comentamos no início deste texto, um mundo com pouca interatividade e pouco conectado. Este mundo, e este cenário, eram onde os pesquisadores do “Green Team” da Sun Microsystens vislumbraram um novo mundo, mundo este que conhecemos hoje. Em 1991, de acordo com a “História do Java” publicado pela Oracle, o “Green Team” foi encarregado de desenvolver uma nova linguagem que possibilitasse uma união entre diversos sistemas e dispositivos, ampliando a difusão da informação e a conectividade.

Dirigido por James Gosling o “Green Team” desenvolveu e lançou em 1995 a linguagem de programação Java, que inicialmente foi projetada para aparelhos de TV a cabo. Entretanto devido a sua robustez, flexibilidade e conectividade, a mesma começou a ser aplicada nos mais diversos cenários e dispositivos. Hoje podemos ver aplicações Java executando nos mais diversos dispositivos, desde Smart Cards com o Java Card, hardware para IoT (Internet of Things – Internet das Coisas) com Java ME, até aplicações para Web como sistemas bancários feitos em Java EE, ou aplicações desktop e bancos de dados que utilizam ou foram desenvolvidos em Java SE. Hoje o Java permeia a Web, e as nossas vidas, estando em jogos, em dispositivos como Smartphones, SmartTvs, e diversas aplicações. Desta forma podemos dizer que o Java está em toda a parte desde o seu lançamento em 1995.

Toda esta evolução só foi possível pela linguagem Java prezar desde o seu desenvolvimento por uma arquitetura que permitisse alta portabilidade dos seus binários, e redução da complexidade no momento do desenvolvimento de um programa. Com isso é possível deixar as tarefas mais complexas de gerenciamento de recursos do sistema operacional, e do próprio hardware com a máquina virtual Java (JVM), e focar mais nas regras de negócio que se deseja implementar.

Assim podemos desenvolver facilmente, e com baixo tempo, um software robusto que faça requisições Web, acesse bancos de dados e utilize recursos de rede. Tudo isso desenvolvendo uma única vez, e podendo na grande maioria das vezes executar em diversos sistemas operacionais e arquiteturas, sem necessidade de alteração do código fonte.

Por todos estes motivos, incluindo portabilidade, flexibilidade e facilidade no desenvolvimento, o Java é considerado a linguagem mais utilizada atualmente de acordo com o índice da TIOBE. E com salários iniciando em R$ 2000, chegando a aproximadamente R$ 7300 em empresas de grande porte de acordo com dados do SINE (Site Nacional de Empregos) e Love Mondays.

Atrativo não é? Então que habilidades são necessárias para se tornar um bom programador Java, e entrar neste grande mercado. A VOffice elencou 5 habilidades imprescindíveis para auxiliar você nesta tarefa, são elas:

  1. Lógica de Programação

Para iniciar na Linguagem e se aprofundar nas estruturas mais complexas do Java, um bom programador necessita de uma excelente lógica de programação. A lógica de programação descreve como resolver um problema através de passos, condições e interações estruturadas em um algoritmo. Isso é visto nas primeiras disciplinas nos principais cursos de computação e análise de sistemas, e podem ser ainda mais desenvolvidas em cursos de formação para programadores. A VOffice pode auxiliar neste ponto com o curso de programação para iniciantes.

  1. Arquitetura de Sistemas

Mesmo o Java abstraindo as complexidades do sistema operacional, e gerando executáveis portáteis para diversas arquiteturas, é imprescindível que um bom programador conheça as limitações, e acima de tudo as oportunidades que a arquitetura escolhida proveem.

  1. Web

Conhecer a Web e como disponibilizar um serviço para que diversos outros sistemas e usuários consomem e utilizam é extremamente importante. Para que um sistema seja amplamente utilizado, grande parte das vezes o mesmo é disponibilizado na Web, isso porque o serviço estará na Internet e poderá ser acessado de qualquer lugar do mundo, e de qualquer dispositivo conectado.

Conceitos como Webservices, Container para Aplicações, e linguagens para desenvolvimento de interfaces, como CSS, HTML e JavaScript são base para uma aplicação Java EE executar de forma eficiente, atraente e com maior adesão em diversos dispositivos utilizando visualização responsiva.

  1. Cloud

Cloud, ou computação na nuvem não é mais o futuro. A cada dia mais empresas levam sua estrutura para serviços na nuvem como a disponibilizada pela Amazon (AWS). De acordo com dados da Embratel mais de 60% das empresas brasileiras deverão usar a nuvem, isso porque utilizando Cloud é possível reduzir custos de manutenção e atualização de Hardware, e principalmente ampliar a escalabilidade dos serviços literalmente ao alcance de um clique.

  1. Atualização constante

O Java, como muitas outras linguagens de programação, possui atualizações constantes. Portanto, é necessário acompanhar essas novidades. Algumas dicas são:

–  Site da Oracle, onde são divulgadas as releases notes, com descrição das atualizações e as facilidades que ela contempla;

– Blogs da comunidade, que permitem acompanhar dicas para soluções de problemas, boas práticas de desenvolvimento, novas APIs disponibilizadas, além de permitir networking com outros profissionais da área;

– Cursos de atualização e especialização, que permitem maior aperfeiçoamento profissional e destaque no mercado de trabalho.

Gostou do artigo? Deixe os seus comentários.